O Barrense


Deixe um comentário

Me encharquei de você

Eduardo Papke Rocha:

Nunca saberemos se aquele beijo poderá levar a algo mais sério. Ou se o rolo de meses finalmente vai dar em namoro. Se preparamos um café ou nossa vida. Se ela vai ou fica de vez. Não sabemos. Não existe exatidão quando tratamos de sentimentos. É feito o tempo, hoje esta chovendo, mas e amanha? Quem sabe?

Publicado originalmente em Suspiros & Desatinos:

tumblr_lxdhs1hzjz1ql9lweo1_500

Hoje choveu; e meu peito deixou de ser aquele deserto em que amor nenhum vingava. Eu não estava com meu guarda-chuva para me proteger de amores instantâneos. Havia esquecido em casa a capa de chuva contra expectativas. Sequer calcei as galochas para não me inundar de você. A previsão do tempo que há em meu peito não me avisou de você. Foste feito chuva de verão: Pegou-me desprevenido. Eu demorei a entender que o amor acontece desta maneira: quando menos esperamos. Por muito tempo eu insisti em arriscar a previsão e agora entendo o motivo de nunca acertar. Se fosse obvio e programado, não seria amor. Nunca saberemos se aquele beijo poderá levar a algo mais sério. Ou se o rolo de meses finalmente vai dar em namoro. Se preparamos um café ou nossa vida. Se ela vai ou fica de vez. Não sabemos. Não existe exatidão quando tratamos de…

Ver original 163 mais palavras


Deixe um comentário

Em cartaz

Publicado originalmente em Suspiros & Desatinos:

tumblr_lz70awAQE01r1yu01o1_500

Você disse que não quer reprisar o passado. Que decorou as falas desse filme. Que tem medo da nossa relação ser apenas uma refilmagem de tudo que já viveste. Uma versão repaginada do sofrer. Peço que deixe a desconfiança de lado.

Acredita na nossa história, essa que sequer começou. Leia o script. O que achou da personagem? Só consigo pensar em ti pra contracenar comigo, mas com uma condição: não leve a bagagem que tu carregas pro set de filmagem. Esse baú repleto de retalhos do passado. Que te impede de se entregar a personagem. Que te prende ao passado feito âncora. Viver no passado pode acabar estragando o presente.

Aceita esse novo papel. Peço que leia o roteiro e considere a proposta. A trama parece boa. Um jovem casal formado por um desses tantos aplicativos que propõem encontros casuais. Caminhos opostos e personalidades conflitantes. Destino incerto e um amor…

Ver original 109 mais palavras


Deixe um comentário

Estaciona logo

Publicado originalmente em Suspiros & Desatinos:

tumblr_nonfpgXaCq1sy2geto2_500

Estaciona aqui. Eu te ajudo e dou as dicas pra facilitar. Confia, conheço cada centímetro dessa rua. Não te preocupa com o guarda de trânsito, pode deixar que contarei nossa história pra ele e não haverá multa alguma. Ele não vai resistir. Em última instância apelo pro teu sorriso, duvido ele não se render. Ajusta teu retrovisor e cuidado com o meio-fio. Por via das dúvidas coloca o cinto. Quero garantir o que sinto agora pro resto da vida. Não quero dar chance ao azar logo agora que te encontrei, ou foi você que me encontrou? Não importa, você a melhor surpresa que a vida poderia me reservar.

Ignora essa placa que diz: proibido estacionar. Coloquei ela ali pra não mais sofrer. Pensei até em interditar a rua. Por medo. Medo de reviver tantas desilusões, tantas amarguras, tantos desamores. Tanto. Ignora e manobra. Desculpe o calçamento pedregoso e esburacado, você…

Ver original 95 mais palavras


Deixe um comentário

Teu amor me dá alergia

the-f-word-primeiras-fotos-2

Tenho alergia. Alergia ao que tu me ofereces. Amor à conta gotas não completa. Taça pela metade não transborda. Migalhas não alimentam. Insegurança não realiza coisa alguma. Enquanto eu mergulho num mar de incertezas tu prefere a segurança da terra firme. Vê se não estraga nosso presente imaginando um futuro espelhado no teu passado. Entenda que tua dor não pode ser maior do que tua esperança.

Eu bem que queria, mas não posso voltar no tempo e te impedir de conhecer aquele carinha que te fez sofrer. Que criou esse álbum de más recordações. Recomendo que tu descalce esse chinelo velho do passado, desamarre o coração e se permita viver, sentir.

O que posso fazer é oferecer uma vida ao meu lado, essa que começa após o “viveram felizes para sempre”. Quero que tua vida se enrosque na minha, pra não desatar mais. Quero viver os detalhes. Quero que tu sejas o maior detalhe da minha vida. Então foge de mim ao contrário, eu te busco no aeroporto, na rodoviária, no metrô e, se você quiser, a gente ainda pode ser muito feliz.

Larga essa mania chata de sabotar o amor por medo de que ele não aconteça. Te acostuma com a ideia de ser feliz e deixe de pensar em dez maneiras diferentes de correr pro lado errado. Eu te faço companhia e juntos descobrimos o caminho pra felicidade. Até ajusto meu passo ao teu. Só não aceito que tu sigas carregando essa mala repleta de lembranças que te causam dor. Se quiseres eu te ajudo a desfaze-la pra deixar espaço pra nossa historia, essa que sequer começou e pode muito bem ser a mais linda de nossas vidas.

Mas antes vou ali tomar meu anti-histamínico, porque esse amor pela metade me dá alergia, e quando voltar quero te ver com aquelas boias infantis nos braços, pronta para mergulhar em nós, prometo não rir. Vêm.


Deixe um comentário

Uma noite contigo

Eduardo Papke Rocha:

Eu já te disse que esse jeans preto fica lindo em ti? Que tu ficas linda com cabelo solto e natural? Que o mundo inteiro para por alguns instantes para te ver sorrir? E por falar em sorriso, você sabia que teus olhos se fecham quando tu sorri? <3

Publicado originalmente em Suspiros & Desatinos:

tumblr_mjdcduwoWe1qccq83o1_500

Coloque no papel e me diga, o que você tem a perder? Sério que você ainda insiste em se auto-sabotar? Posso te garantir que ao dizer não, você estará perdendo toda uma historia, que poderia muito bem ser linda. Uma historia em que protagonizaríamos da maneira mais bela que conseguirmos viver. Não posso garantir aquela final feliz de cinema ou viveram felizes para sempre dos contos de fadas, mas prometo te dar motivos para sorrir e toda forma de amor que houver nessa vida, e nas outras também. Eu não te conheço o suficiente, mas precisaria apenas de uma noite contigo. Uma noite num hotel de beira de estrada. Em que vamos rir do tapete amarelo-cheguei e reclamar à gerência da cortina cheirando a fumaça. Assistir um romance qualquer na velha TV de tubo e discutir que tipo de pessoa decoraria um hotel com esse papel de parede. Uma noite…

Ver original 177 mais palavras


Deixe um comentário

Perdão

Publicado originalmente em Suspiros & Desatinos:

ec22

Quando nosso laço se desfez, esse que juramos ser eterno, parei para pensar quantas palavras te diria. Talvez só uma: Perdão. Não sei bem o motivo e porquê, mas perdão. Perdão pela confiança que te dei. Perdão. Perdão se te beijei da maneira errada. Perdão. Perdão se tudo que te dei foi pouco. Perdão. Perdão pelos risos e gargalhadas que causei. Perdão pelas noites sem destino, as noites à beira mar, as noites na cama, as noites a falar. Perdão pelas manhãs sonolentas, as manhãs preguiçosas, as manhãs carinhosas. Perdão pelo ciúme desmedido, a compulsividade insuportável, os sermões chatos, os dramas em excesso. Perdão pelas promessas, os segredos ao pé do ouvido. Perdão pelos beijos na testa, os beijos na boca, os beijos pelo corpo inteiro. Perdão pelo primeiro abraço na calçada, o abraço na praça, o abraço na cama, o abraço no carro, o abraço na beira da praia…

Ver original 29 mais palavras


Deixe um comentário

Se ontem chorei, hoje te agradeço

Eduardo Papke Rocha:

Vem suspirar com outro desatino meu <3

Publicado originalmente em Suspiros & Desatinos:

images

Hoje te escrevo em forma de agradecimento. Apesar da distancia entre nós, quilométrica e sentimental, saibas que tenho um carinho enorme por ti, proporcional a nossa distancia. Foste tu, e mais ninguém, que me despertaste pra vida. Tu, essa aquarela de um metro e quarenta e oito, coloriu meu mundo, deu sentido a ele, quando eu não mais esperava. Você foi um marco na minha vida, e posso dividi-la entre antes e depois de você.

É claro que te esquecer não foi nada fácil, perdi a conta de quantas noites passei em claro e quantos oceanos chorei. Confesso que na época te odiei o quanto foi possível, até o ultimo fio do teu cabelo encaracolado. Para você ter ideia do quanto andei sofrendo, saiba que apelei até para estes cartazes que prometem o seguinte: Trago seu amor de volta em sete dias!

 Acho que a resposta você já sabe. E…

Ver original 256 mais palavras

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 5.421 outros seguidores